RCC Pernambuco
ARTIGOS
 
 
28
Abr
Sois simples administradores dos mistérios de Deus (I Cor 4,1)
Sois simples administradores dos mistérios de Deus (I Cor 4,1)Sois simples administradores dos mistérios de Deus
(I Cor 4,1)

Autoria: Maria José (Presidente do Conselho RCCPE)

I. INTRODUÇÃO
Então Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu... Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: "Frutificai - disse ele - e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra" (Gn 1,26-28).

Quando lemos o texto sagrado que narra a criação do homem, podemos observar que Deus desde o princípio da criação dá ao homem um status privilegiado perante os outros seres criados. Constatamos esse fato nos verbos que o autor sagrado utiliza para descrever a posição do homem em relação a toda criação: reinar, submeter, dominar. Nestes verbos Deus expressa a autoridade que confere ao homem, sua imagem e semelhança, mas revela também a confiança que tem neste para ser o administrador de toda a criação. O Rei Davi já se admirava desta grande honra que o criador nos concede. "Que é o homem - digo-me então -, para pensardes nele? Que são os filhos de Adão, para que vos ocupeis com eles? Entretanto vós o fizestes quase igual aos anjos, de glória e honra o coroastes. Deste-lhes poder sobre as obras de vossas mãos, vós lhe submetestes todo o universo” (Sl 8,5-7). Mas reconhece que toda glória deve ser dada ao criador... "Ó Senhor nosso Deus como é glorioso vosso nome em toda a terra!" (Sl 8,2).



II. DESENVOLVIMENTO
Percorrendo as Escrituras Sagradas vamos encontrar Jesus, o Verbo encarnado que veio habitar entre nós, reunido com seus discípulos ensinando-os por meio das parábolas o significado de ser administradord No Evangelho de Lucas 12,35-48, Jesus exorta aos discípulos sobre a prontidão do servo que aguarda a chegada do seu senhor, preparado e cumprindo sua missão fielmente, "Bem aventurados os servos a quem o senhor achar vigiando quando vier! (Lc 12,37)" e mais especificamente a partir do versículo 42, respondendo a indagação de Pedro sobre a quem se destina a parábola diz - "O Senhor replicou: "Qual é o administrador sábio e fiel que o Senhor estabelecerá sobre os seus operários para lhes dar a seu tempo a sua medida de trigo?" - refere-se então a figura do administrador que se trata aqui do servo que tem autoridade sobre os demais servos, percebemos nas palavras de Jesus a seus discípulos que o mesmo dá a compreender a missão que os apóstolos teriam na igreja, ou seja, o ensinamento de que os homens sábios e fiéis são escolhidos e investidos de autoridade sobre os outros operários "para lhes dar o alimento em tempo oportuno"
No Evangelho de Mateus 24, 45-51 a tradução da Bíblia de Jerusalém intitula esta mesma parábola de: Parábola do Mordomo. Uma das definições da palavra mordomo, segundo o dicionário do Aurélio é: Administrador de uma casa ou estabelecimento (por conta do próprio dono). Esta definição da palavra mordomo deixa claro para nós que aquele que é chamado por Deus a administrar para Ele os seus servos, conta com os próprios bens Dele. Dentro deste contexto, amados servos da Renovação Carismática Católica, compreendemos que quando nos dispomos ao serviço do Senhor, seja em qualquer instância de coordenação ou exercício de um ministério, em primeiro lugar precisamos ter a clareza de que o serviço que executamos destina-se ao cuidado com os outros, como a própria parábola aponta, o administrador é o responsável por alimentar os demais operários. Para tanto é necessário também que compreendamos que o administrador realiza o seu trabalho não contando com recursos próprios, mas com os recursos do senhor a quem serve, o que significa que a partir do nosso sim ao chamado a servir, o próprio Deus no reveste de autoridade necessária e nos capacita à missão proposta dando-nos acesso aos Seus bens. E aqui compreendemos enquanto Renovação Carismática Católica que esses bens para nós são os dons e carismas do Espírito Santo com os quais somos revestidos para a missão.
O Apóstolo Paulo em 1 Cor 4,1-2 em se tratando do administrador nos ensina: "Que os homens nos considerem, pois como simples operários de Cristo e administradores dos mistérios de Deus. Ora, o que se exige dos administradores é que sejam fiéis". Encontramos nestes dois versículos duas advertências que o apóstolo faz a figura do administrador, a primeira está no versículo primeiro, é quando chama atenção a imagem do administrador perante os outros "Que os homens nos considerem, pois, como simples operários de Cristo e administradores dos mistérios de Deus". Aqui percebemos o Apóstolo Paulo esclarecendo-nos que o administrador, mesmo tendo sido estabelecido sobre os outros operários (Lucas 12,42), continua sendo também operário mesmo assumindo a missão de administrar, ou seja, não podemos perder de vista a nossa condição de servo que está submisso ao Senhor, mesmo tendo Ele nos escolhido para revelar seus mistérios e nos confiado tal missão, é Ele que detém todo poder e a Ele pertence todas as coisas. No versículo seguinte está a segunda advertência: "Ora, o que se exige dos administradores é que sejam fiéis". Eis uma advertência que não podemos desprezar, a condição de "simples administradores dos mistérios de Deus". nos remete a uma responsabilidade mediante a confiança depositada em nós por Aquele que nos escolheu. O que demanda de nós cuidados na postura, nas decisões e principalmente na qualidade do serviço que estamos prestando ao Senhor na pessoa dos irmãos que nos foram confiados, afinal como vimos na Parábola do Mordomo, o alimento que precisamos oferecer aos operários vem da despensa do próprio Senhor.

III. CONCLUSÃO
Sendo assim o nosso relacionamento com Ele deve ser de grande intimidade, e intimidade como sabemos só se constrói a partir de uma convivência, o que significa que é na vida de oração pessoal exigida ao servo, que conseguimos adentrar nos mistérios de Deus e administrá-los a outros irmãos com ânimo, sabedoria, discernimento e todos os demais dons e carismas que advém Dele. Para que em nossa missão, como nos ensina o Apóstolo Paulo, sejamos apontados como os "simples administradores dos mistérios de Deus" que com fidelidade e oportunamente tem alimentado os Seus amados e cumprindo o que Ele espera de nós. Possa então o Senhor nos encontrar "assim ocupados" (Lucas 12,43)


Compartilhe está Notícia
Indique a um amigo
 
 

Copyright © 2017 RCC Pernambuco. Todos os direitos reservados.